Comissão da Verdade de SP exibe o filme ‘1964 – Um golpe contra o Brasil’



Com o objetivo de amplias as discussões em torno da luta pela verdade, a Comissão da Verdade de São Paulo realizará, de 1 a 5 de abril, no Museu da Imagem e do Som de Campinas, exibições de filmes, debates e a primeira sessão de discussões da Comissão. Dentes as exibições, estará a do filme “1964: golpe contra o Brasil”, com a presença do diretor Alípio Freire.

Programação:

Segunda-feira (01/04) – 19h, no MIS – Exibição do filme “1964: golpe contra o Brasil”, com a presença do diretor Alípio Freire. O filme foi feito a partir de depoimentos de personagens que viveram aquele período. Discute as razões que levaram ao golpe civil e militar que derrubou o governo do presidente João Goulart em 1964. Trazrevelações sobre o papel dos EUA no golpe.

Terça-feira (02/04) – 14h, na Câmara Municipal (Comissões de Educação, Cultura e Esporte; e de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania) – Conferência com Paulo Abrão, Secretário Nacional de Justiça e Presidente da Comissão da Anistia, do Ministério da Justiça.

Terça-feira (02/04) – 19h, no MIS – Lançamento do filme “Padre Milton Santana: religioso, político, social”, seguido de debate com a diretora Juliana Siqueira, o ex-vereador Carlos Signorelli, o Prof. Alfredo Gomes e o historiador Orestes Toledo.

Quarta-feira (03/04) – 15h, no MIS – Mesa Redonda “Centros de Documentação locais e a memória da ditadura – acervos e ações de com equipes do MIS, Arquivo Edgard Leuenröth, Arquivo Municipal, Centro de Memória da Unicamp, Museu Carlos Gomes, além das coordenações de cursos das universidades locais.

Quarta-feira (03/04) – 19h30, no salão Nobre da PUCC – Exibição do filme “Em Nome da Segurança Nacional”, direção de Renato Tapajós. Trata do Tribunal Tiradentes, atividade desenvolvida pelos grupos de direitos humanos do Brasil, que julgou os crimes da ditadura em 1983.

Sexta-feira (05/04) – 19h, na Câmara Municipal – Primeira Sessão Pública da Comissão Municipal da Verdade e da Justiça – Painel “Memória e Resistência Política”sobre a ação da ditadura em Campinas, com militantes de esquerda como Irineu Simionato, sindicalista cassado, e Roseli Bianco; Tarcísio Sigrist e Manoel Lino de Faria, presos e torturados em Campinas.

Fonte: Fundação Maurício Grabois

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.