Biografia de Pedro Pomar é lançada em sua cidade natal


Por Osvaldo Bertolino

Com a presença de autoridades, intelectuais, representantes e populares e estudantes, a biografia de Pedro Pomar foi lançada em sua terra natal, Óbidos, uma histórica cidade localizada na região Oeste do Estado do Pará. Estiveram presentes o jornalista Osvaldo Bertolino, pesquisador da Fundação Maurício Grabois e autor da obra, e Eneida Guimarães, presidenta da Fundação Maurício Grabois no Estado do Pará.
Osvaldo Bertolino, Paula Andrea, Sandro Silva, Haroldo Tavares, Eneida Guiomarães e Ricardo dos Santos Lima

 

Na manhã do dia 6 de dezembro de 2013, a cidade de Óbidos, na região Oeste do Estado do Pará, viveu mais um dos dias em que seus filhos ilustres são reverenciados. No auditório Francisca das Chagas Simões Pantoja, do Museu Integrado de Óbidos, ocorreu mais um lançamento da biografia “Pedro Pomar — ideias e batalhas”, de autoria do jornalista e pesquisador da Fundação Maurício Grabois, Osvaldo Bertolino. O evento foi organizado pela Associação Cultural Obidense (Acob) e pela sessão paraense da Fundação Maurício Grabois, presidida por Eneida Guimarães, presente no lançamento.

Haroldo Tavares, presidente da Acob, presidiu a sessão solene. Estiveram presentes secretários municipais, vereadores, representantes de partidos, artistas, intelectuais, estudantes, convidados e amigos da família Pomar, num total de aproximadamente 50 pessoas. A Fundação Maurício Grabois do Pará foi representada pela sua presidenta, Eneida Guimarães. Os dois presidentes das entidades que organizaram o evento, além do autor, foram convidados para ocupar a mesa.

Compuseram a mesa, também, Sandro Augusto Inomata da Silva, secretaria municipal de Cultura e Turismo, representando o prefeito Mário Henrique de Souza Guerreiro (PMDB); Isomar Castro Barros, secretaria municipal de Desenvolvimento Rural e Abastecimento e presidente municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB); Carlos Augusto Sarrazin Vieira, professor da disciplina História de Óbidos do Colegio Raymundo Chaves e representante do Instituto Geográfico do Estado do Pará; Paula Andrea do Amaral Gomes, vereadora e representante da Câmara Municipal; e Ricardo dos Santos Lima, pastor da Congregação Batista Nova Esperança, representante das igrejas evangélicas.

Intelectuais, representantes populares e estudantes assistiram ao evento

Inicialmente, Haroldo Tavares fez uma síntese da vida de Pedro Pomar, destacando que a biografia “é a história completa de um conterrâneo”. Segundo ele, na ordem cronológica dos grandes obidenses Pedro Pomar é o terceiro — depois dos escritores José Veríssimo e Inglês de Sousa, que participaram da fundação da Academia Brasileira de Letras. A posição de Pedro Pomar, disse Haroldo Tavares, se deve à sua clareza, conhecimento, lealdade e tudo aquilo que ele defendeu desde seus vinte e poucos anos até a morte trágica.

Ao narrar o breve histórico de Pedro Pomar, Haroldo Tavares relatou um fato curioso. Segundo ele, ao remexer seus “alfarrábios” em uma pilha de documentos antigos encontrou um exemplar do Diário Oficial do Estado do Pará do dia 4 de novembro de 1913 em que o médico Silas Andrade atendeu a um requerimento da professora Rosa Cândida Ventura Pomar — a mãe de Pedro Pomar — pedindo a justificativa de 25 dias que faltara. Haroldo Tavares fez as contas: como Pedro Pomar nasceu em 23 de setembro de 1913, ela estava “de parto”; naquela época, quando as mulheres davam à luz passavam 40 dias reclusas, detalhou.

Diário Oficial com anúncio sobre “licença maternidade” da mãe de Pedro Pomar

Muito tempo depois, o médico Silas Andrade, já membro do Partido Comunista do Brasil, receitaria o remédio que teria a função de adormecer os guardas do presídio do Umarizal, em Belém, para a fuga de Pedro Pomar e João Amazonas em direção ao Rio de Janeiro. “Silas Andrade foi meu padrinho de batismo”, revelou Haroldo Tavares. “São essas coisas que nos levam a pensar que precisamos preservar nossa história, nossa cultura, nosso patrimônio, nosso passado. Eu quero nesse momento oferecer ao jornalista Osvaldo Bertolino esse Diário Oficial”, comunicou. O documento já está devidamente arquivado no Centro de Documentação e Memória (CDM) da Fundação Maurício Grabois. Haroldo Tavares também informou que a Acob ganhou de Adelson Moraes, que quando jovem foi encaminhado ao Rio de Janeiro para estudar, a máquina de escrever de Pedro Pomar — com quem morou na então capital federal.

Máquina de escrever de Pedro Pomar

Eneida Guimarães falou em seguida e disse que a Fundação Maurício Grabois tem a preocupação de juntar as pessoas que lutam por avanços para a sociedade brasileira. Ela comentou brevemente a trajetória de Pedro Pomar e ressaltou suas contribuições para diversos setores. Destacou suas atividades políticas voltadas para a democracia, o progresso social e a independência nacional; jornalísticas, com a qual procurou levar as ideias progressistas para o povo; e esportiva. Informou ainda que ao optar pelo estudo da medicina sua preocupação era a de cuidar das pessoas. Segundo Eneida, na biografia há diferencial: a citação de muitas mulheres. “Fiquei muito surpreendida com isso. A biografia destaca a sua ligação com a história da mãe e de muitas mulheres que foram lutadoras como ele”, afirmou. Eneida ressaltou também a contribuição de Pedro Pomar no campo das artes e da intelectualidade.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Sandro Augusto Inomata da Silva, registrou que neste ano foram lançados vários livros em Óbidos, atestando o gosto do obidense pela cultura. Ele cumprimentou o autor da biografia de Pedro Pomar pela iniciativa e pelo trabalho, destacando que o livro ajudará a comunidade local a ter mais informações, conhecimentos e experiências. Registrou também que o livro foi lançado no ano em que o Partido Comunista do Brasil completou 91 anos e Pedro Pomar cem anos. Lembrou que a Câmara Municipal fez sessão solene para homenagear Pedro Pomar na data do seu centenário de nascimento e que o Colégio Raymundo Chaves desfilou em 6 de setembro contando a história de Pedro Pomar. Destacou ainda mais uma coincidência: Eneida de Moraes, escritora e amiga de Pedro Pomar, tinha o mesmo nome da presidenta da Fundação Maurício Grabois no Estado do Pará. Sandro encerrou sua fala cumprimentando o jornalista Osvaldo Bertolino em nome do prefeito, da Secretaria de Cultura e do povo obidense.

Isomar, Haroldo Tavares, Adelson, Osvaldo Bertolino, Paula Andrea, Sandro Silva e Eneida

A vereadora Paula Andrea, que é também professora de história, disse que se sentia  lisonjeada, emocionada e feliz pela lançamento do livro. Ela falou brevemente da tramitação do projeto de iniciativa popular que institui a “Comenda Pedro Pomar” e informou que na aprovação haverá uma cerimônia para a qual serão convidados familiares e amigos do biografado. Paulo Andrea terminou dizendo que é importante a valorização da biografia por trazer uma belíssima história do Brasil e do município de Óbidos.

Isomar Castro Barros, secretario municipal de Desenvolvimento Rural e Abastecimento e presidente do PCdoB local, falou sobre a importância de Pedro Pomar para a história do Brasil e de Óbidos, e enfatizou que fica com a responsabilidade de honrar o seu legado e dar continuidade à obra do Partido Comunista do Brasil. “Pedro Pomar deixa exemplos, como filho de Óbidos, de lutas para se buscar uma sociedade melhor”, observou.

O professor Carlos Augusto Sarrazin Vieira iniciou sua fala pedindo para seus alunos do colégio Raymundo Chaves se levantar para mostrar as camisetas com a foto de Pedro, usadas no desfile de 6 de setembro. “Para nós, obidenses, participar do lançamento desse livro é um honra”, disse ele. “Essa obra vai aumentar e enriquecer nossos conhecimentos, e vai aumentar o nosso orgulho de ser obidense”, afirmou. Ele informou que Óbidos é o único município do Pará que conta em sua grade curricular com uma disciplina própria sobre a história do município.

Segundo ele, Pedro Pomar teve grande importância na sua implantação. “Porque o Conselho Estadual de Educação não queria que a disciplina ‘História de Óbidos’ fosse implantada no município alegando que ela poderia ser contada dentro da disciplina ‘Estudos da Amazônia’. Tivemos que contra-argumentar, citando Inglês de Souza e José Veríssimo como membros da Academia Brasileira de Letras; e Pedro Pomar como um dos maiores nomes da esquerda brasileira, uma inteligência brilhante”, detalhou.

Professor Carlos Augusto Sarrazin Vieira e Eneida Guimarães

Carlos Augusto Sarrazin Vieira citou outras importantes personalidades obidenses, entre elas Constantino Barros, um dos maiores matemáticos do século XX. “Batemos na mesa e comunicamos ao Conselho que mesmo sem autorização implantaríamos a disciplina; eles voltaram atrás”, informou. Com isso, disse o professor, em cerca de dois anos o quase completo desconhecimento sobre Pedro Pomar foi revertido. Ele disse que tem trabalhado no Colégio com projetos de resgate da história obidense e que neste ano o tema foi “Tributo a Pedro Pomar”.

Segundo Carlos Augusto Sarrazin Vieira, a semente foi plantada em março e contou com apoio da direção do colégio, da coordenação pedagógica e dos professores. O resultado foi o desfile de 6 de setembro, com os alunos “levando com muito orgulho a foto de Pedro Pomar”. O evento mostrou a militância de Pedro Pomar na esquerda, atuando em diferentes frentes — política, jornalismo, medicina e esporte, cada uma delas representada por uma ala devidamente ornamentada — e foi aplaudido de pé pela população, segundo o professor.

Alunos do Colégio Raymundo Chaves que desfilaram em homenagem a Pedro Pomar

Ele informou também que na oportunidade foi apresentado à Câmara Municipal um projeto de iniciativa popular criando a “Comenda Pedro Pomar”. “Pedimos que fosse quebrado todos os prazos regimentais para ser aprovado em regime de urgência. Não sei como anda, não recebemos nenhuma comunicação”, observou. Carlos Augusto Sarrazin Vieira pediu aos vereadores que aprovem o projeto “como uma forma de reverenciarmos esse filho ilustre da nossa cidade”. Ele encerrou sua fala convidando a aluna Jaine, de 13 anos de idade, da 8ª série, que pintou um quadro de Pedro Pomar.

Quadro com desenho de Pedro Pomar, da aluna Jaine

O autor da biografia, Osvaldo Bertolino, encerrou as intervenções fazendo um relato sobre a história do livro, enfatizando pontos importantes da trajetória de Pedro Pomar. Destacou o cenário mundial do começo dos anos 1930, quando o biografado iniciou suas atividades, mostrando que havia um forte influxo do nazi-fascimo no Brasil. Ao ingressar no Partido Comunista do Brasil, Pedro Pomar iniciou a sua militância multifacetada, sempre combatendo os inimigos do povo, da democracia e da soberania nacional, enfatizou. Segundo o autor, a biografia é inteiramente baseada em fatos, narrados pelo próprio biografado, por seus contemporâneos, pelo seu Partido e pelos documentos da época. “Não há subjetividade nem dedução do autor”, enfatizou.

Osvaldo Bertolino autografa biografia para Adelson Moraes, primo de Pedro Pomar

Na oportunidade também foi exibido o documentário “Pomar de ideias e batalhas”. Em seguida, ocorreu a sessão de autógrafos. Os portais “Chupa Osso”, representado por Odirlei dos Santos, e “Portal de Óbidos”, represtando por Edsérgio Morais, além da TV Sentinela e da TV e Rádio Atalaia, registraram o evento.

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s