Luciano Siqueira: Disputa e decadência nos EUA

Hilary Clinton e Donald Trump protagonizam um vale tudo de agressões e baixarias nas eleições presidenciais daquela que a direita costuma enaltecer como “a democracia mais avançada do mundo”.

Nunca foi.

Não é de agora que a disputa pelo poder central naquele país se cerca de todo tipo de manobra, num jogo pesado em que valem decisivamente milhões de dólares arrecadados por democratas e republicanos e o poder onipresente da grande mídia.

Teoricamente há outros partidos na competição, porém na prática de modo quase que virtual. O sistema, essencialmente de sufrágio indireto e sob controle dos dois principais partidos, assim o determina.

O Partido Democrata e o Partido Republicano se alternam no poder conforme as circunstâncias do momento, sem que jamais ponham em risco o establishment.

Uma sátira estrelada por Peter Sellers, Shirley MacLine e Melvyn Douglas, “Muito além do jardim” (1979), aborda com verve instigante o real poder norte-americano.

Na cena derradeira, ao levarem à sepultura o presidente morto, alguns dos mais poderosos magnatas cochicham sobre quem deveria ser indicado para sucedê-lo e um deles sugere justamente o personagem de Sellers – ex-jardineiro recém-aposentado, que por uma sucessão de malententidos se convertera num importante conselheiro presidencial.

No pleito que se consumará daqui a alguns dias, estão quase empatados Trump e Hilary – tragicamente as duas únicas opções eleitoralmente viáveis oferecidas ao povo norte-americano.

Trump, com um discurso típico da regressão civilizacional que marca a atual crise global, reverbera o que há de pior no pensamento da extrema direita ianque.

Hilary, reconhecidamente a candidata democrata historicamente mais rejeitada por expressivas parcelas dos eleitores do seu partido, vê-se envolta em gravesa denúncias que comprometem sua gestão como Secretária de Estado.

Vivemos tempos sombrios. O império tem a iniciativa e se impõe aos povos pelo seu poderio militar e pela hegemonia absoluta do capital financeiro.

A resistência democrática e popular e a luta dos povos por sua autonomia atravessa fase de defensiva estratégica.

Entretanto, o evolver das contradições e da instabilidade em todas as esferas aponta para o amadurecimento de uma contra-ofensiva civilizatória adiante, como desdobramento de prolongado acúmulo de forças da resistência.

A cabeça apodrecida do poder político nos EUA é parte dessa equação.

Leia mais sobre temas da atualidade: http://migre.me/kMGFD

Luciano Siqueira

https://www.facebook.com/lucianoPCdoB * blog www.lucianosiqueira.blogspot.com

* twitter.com/lucianoPCdoB  * Instagram lucianosiqueiram

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s