China e Rússia: Dois gigantes que avançam na cooperação prática


A China e a Rússia são duas grandes potências que avançam hoje na cooperação pragmática saudável, alinhando suas estratégias de desenvolvimento e concentrados conjuntamente em preservar uma fronteira pacífica.

Por Damy Valle, Na Prensa Latina

 

Prensa Latina

Li Keqiang e Dmitri Medviedev

Li Keqiang e Dmitri Medviedev

Essa ideia foi reforçada pelo primeiro-ministro da China, Li Keqiang, e seu colega russo, Dmitri Medviedev, durante uma reunião em São Petersburgo, onde Li se encontra em visita oficial.

Durante o diálogo, Li, que também participará da 21ª Reunião Regular de Premiês China-Rússia no território vizinho, afirmou que a China e a Rússia, países de grande extensão territorial, mantêm uma associação de coordenação estratégica e integral, com suas relações se desenvolvendo de maneira saudável, estável e sustentada e com constantes frutos em sua colaboração.

A fim de ampliar essa conectividade, a China expôs seu interesse de criar sinergias entre a Iniciativa Um Caminho, Uma Rota e a União Econômica Euro-asiática (UEE) e de elevar o nível das relações e da cooperação entre este Estado e a Rússia.

A iniciativa Um Caminho, Uma Rota compreende a Faixa Econômica da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do Século 21 e pretende construir uma rede de comércio e infraestrutura para ligar a Ásia com a Europa e a África ao longo das antigas rotas comerciais da seda.

Já a UEE reúne Armênia, Belarus, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia.

Li afirmou que no contexto de frágil recuperação da economia mundial e de desaceleração do crescimento mundial, a China e a Rússia devem aproveitar plenamente suas vantagens complementares, para com isso injetar nova vitalidade a seu respectivo desenvolvimento, revitalização, transformação econômica e modernização.

Inovação e pequenas e médias empresas são âmbitos nos quais os dois países devem intensificar os esforços para promover sua futura cooperação e colaboração financeira, bem como o aumento do volume de transações em divisas locais para apoiar a devida reciprocidade, foram temas também analisados pelos dois líderes.

Li considerou que as duas partes devem resguardar juntas o sistema e as regras do comércio mundial, promover de forma integral o nível de facilitação e promover um desenvolvimento sustentado da cooperação econômica e comercial bilateral e dos investimentos em ambos sentidos.

Chamou a atenção sobre a importância de ampliar os intercâmbios entre pessoas e a cooperação educacional, científica e tecnológica como uma via para garantir o sucesso do Ano de Intercâmbio de Meios China-Rússia.

No mesmo sentido de uma maior contribuição bilateral, Medviedev explicou que os dois países farão mais esforços para promover a cooperação em inovação de pequenas e médias empresas e favorecerão de forma ativa grandes projetos de energia nuclear civil, gás e petróleo.

Além disso, fez um chamado incrementar a cooperação financeira para prestar apoio com capital às companhias dos dois estados.

O primeiro-ministro russo considerou que a eletromecânica, a agricultura, a ciência, a tecnologia, a aviação e os trens de alta velocidade são os setores em que as duas partes devem promover a cooperação e prometeu apostar tudo para alcançar o objetivo de elevar o volume comercial entre Pequim e Moscou.

Convocou a intensificar o número de estudantes nas universidades de ambos países e impulsionar a cooperação turística.

Além de assinar uma série de consensos nesta segunda-feira, Li e Medviedev assinaram um comunicado conjunto que pede aos dois países aprofundar a cooperação em uma ampla gama de setores, incluindo economia, comércio, investimentos, energia e intercâmbios entre pessoas.

Durante o encontro, se destacou o grande potencial na cooperação comercial e de investimentos baseada em uma pareceria sólida e nas estreitas relações econômicas e comerciais compartilhadas por ambos países, motivo pelo qual concordaram em otimizar a integração econômica mediante a construção de uma parceria econômica de benefício mútuo na Eurásia.

As duas partes discutirão seriamente a possibilidade de estabelecer parques industriais nas regiões de alto e médio dos rios Yangtsé e Volga, indicou a comunicação.

O aviso expõe o resultado da primeira inspeção fronteiriça conjunta dos dois países, que começou em 2011 como uma medida significativa para garantir a paz, a estabilidade e o desenvolvimento das regiões fronteiriças entre os dois territórios.

Sobre esse ponto, as duas partes prometeram manter seu compromisso de garantir a clareza, estabilidade, tranquilidade e paz na fronteira entre os dois países.

Os dois governantes concordaram que a prosperidade, o desenvolvimento e a cooperação integral de benefício mútuo em suas regiões fronteiriças refletem o alto nível da associação de coordenação estratégica e integral China-Rússia e favorecem os interesses dos dois povos.

A visita de Li a essa nação euro-asiática coincide com a comemoração neste ano do 15º aniversário da assinatura do Tratado de Boa Vizinhança e Cooperação Amistosa China-Rússia e o 20º ano do estabelecimento da parceria estratégica de coordenação entre estes estados.

De acordo com a agenda de Li divulgada em Pequim, nesta terça-feira ele foi recebido em Moscou, capital da Rússia, pelo presidente Vladimir Putin.

Anúncios

Um comentário

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s