Moro será denunciado à OAB por permitir xingamentos à defesa de Lula 


A defesa do ex-presidente Lula vai levar à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) o embate travado com o juiz Sergio Moro durante a audiência do caso triplex que ouviu o testemunho de José Afonso Pinheiro, ex-zelador do Condomínio Solaris. A Lava Jato afirma que Lula tem um apartamento no Guarujá pago pela OAS como uma forma de propina disfarçada.

Na audiência, o ex-zelador estava exaltado e se dizia prejudicado pela crise econômica criada pelo governo do PT. Ele disse que se viu obrigado a entrar para a política e concorrer a vereador em Santos após ter sido demitido do Condomínio Solaris. Ele se sentiu intimidado pela tentativa do advogado Cristiano Zanin de demonstrar que a testemunha tirava vantagem política do caso triplex, e reagiu xingando a defesa e o PT de “um bando de lixo”.

Moro pediu calma e objetividade nas respostas de Pinheiro, mas durante a audiência acabou sendo conivente com os ataques da testemunha, impedindo que Zanin fizesse mais perguntas sobre a posição política do ex-zelador. Ao final, Moro também pediu desculpas pela linha “ofensiva” que a defesa de Lula teria adotado. Sobre o “bando de lixo”, porém, Moro disse que se tratou de “um pouco de excesso” da testemunha.

Quando o áudio da audiência foi encerrado, Moro ainda ironizou a defesa de Lula. “Vamos ver se não vai sofrer queixa-crime, ação de indenização, a testemunha, né, por parte da defesa.”

Zanin, segundo relatos da jornalista Mônica Bergamo, respondeu: “Quando as pessoas praticam atos ilícitos elas respondem por seus atos. Eu acho que é isso o que diz a lei.”

Moro perguntou se a defesa vai entrar com queixa-crime contra a testemunha, e Zanin replicou: “O senhor está advogando para a testemunha?”

O juiz seguiu: “Não sei, a defesa entra [com ação] contra todo mundo, com queixa-crime, indenização”. Zanin rebateu: “Eu acho que ninguém está acima da lei. Da mesma forma como as pessoas estão sujeitas a determinadas ações, as autoridades também devem estar”.

“Tá bom, doutor. Uma linha de advocacia muito boa”, finalizou Moro, ao que Zanin respondeu: “Faço o registro de Vossa Excelência e recebo como um elogio.”

Em nota à imprensa, Zanin disse que um “juiz imparcial jamais teria ouvido José Pinheiro como testemunha porque, como filiado a partido político e candidato a vereador em Santos, ele fez campanha usando dos fatos em discussão no processo.”

Além disso, “diante de perguntas objetivas e feitas em tom cordial”, Pinheiro respondeu “com insultos a Lula e a mim como seu advogado, ao mesmo tempo em que fazia declarações de cunho subjetivo e sem qualquer valor jurídico”, e Moro permitiu todas essas situações.

“O mais grave ainda é que o juiz do caso, além de pedir “desculpas” à testemunha após ela agir dessa forma desrespeitosa, ainda lançou a mim descabidas provocações após o áudio da audiência ser desligado. O assunto e as provas correspondentes serão encaminhados à OAB para as providências cabíveis.”

 Fonte: Jornal GGN

Anúncios

Um comentário

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s