Lula sobre Lava Jato: Mentem e agora estão com dificuldade de provar

Em entrevista concedida à Rádio Cidade, do Rio Grande do Norte, nesta segunda-feira (25), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre os desdobramentos da operação Lava Jato. Ele disse que “quem está mais preocupado são as pessoas da Lava Jato que mentiram e agora estão com dificuldade de provar” as denúncias contra ele.

 

Reprodução

 

Ele lembrou que, desde o início da operação, já invadiram a casa do ex-presidente, quebraram seus sigilos fiscal e telefônico, devassaram as conversas com sua família e ainda não encontraram provas. “Se tem um cidadão nesse país que quer a verdade sou eu. Falo isso de coração aberto, se tem uma coisa que tenho orgulho foi de aprender com uma mulher nordestina analfabeta o que é ser pobre e andar de cabeça erguida”, reafirmou.

Lula destacou ainda a perseguição que enfrenta pelas investigações com delações que, segundo ele, são resultado de pressão para que seu nome seja citado. Ele usou como exemplo o depoimento do o ex-presidente da construtora Léo Pinheiro.

“Desde o ano passado que exigem que ele [Léo Pinheiro] fale meu nome. Parece que aceitaram agora a delação porque ia falar o meu nome. Se está condenado a 26 anos, 27 anos de prisão, e vê o delator que roubou milhões devolver alguns milhões e ir viver na beira mar, vê nego morando em casa de luxo, ele diz: ‘também vou delatar’, e delata até a mãe. Se tem um cidadão neste país que quer a verdade sou eu”, afirmou.

E acrescentou: “Não sei se exageram, se quebrando meus sigilos pensando que iam descobrir alguma coisa. Mas, quanto mais eles continuarem mentindo, mais vão se prejudicar. Porque se tem uma coisa que tenho orgulho, que aprendi com uma mulher nordestina, é que a pessoa pode ser pobre, mas deve ser honesto. Isso ninguém vai tirar de mim”, afirmou.

Questionado sobre uma possível delação do ex-ministro Antonio Palocci, Lula disse que não teme e que desconhece prática de crimes pelo petista. “Se o Palocci cometeu algum erro, só ele sabe. Se ele cometeu um delito, só ele sabe. Se ele vai fazer delação ou não, é uma decisão dele, não me preocupa”, afirmou.

Lula frisou que Palocci é uma pessoa muito próxima a ele. “Palocci é fundador do PT, o Palocci foi sindicalista, o Palocci foi ministro da Fazenda, o Palocci foi deputado, o Palocci foi ministro chefe da Casa Civil e o Palocci é uma das figuras mais inteligentes que esse país tem. Poucas vezes vi uma pessoa ser tão respeitada pelo empresariado como ele quando era ministro”, destacou.

A especulação de uma eventual delação foi gerada durante depoimento ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba, em que Palocci afirmou que poderia repassar em sigilo informações “que vão ser certamente do interesse da Lava Jato”.

“O que me preocupa é ele estar preso há seis meses sem que ainda tenha sido consumada a prova, quando o primeiro depoimento ocorreu na semana passada. O que me preocupa é arbítrio, trancafiar para a pessoa confessar. Aliás, o que vemos é pressionar nem sempre por um crime, mas é pressionado a dizer o nome do Lula”, enfatizou o ex-presidente.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FLula%2Fvideos%2F1298550546880609%2F&show_text=0&width=560

Reformas de Temer

Lula classificou a reforma trabalhista, que está em curso no Congresso Nacional, como uma verdadeira “bomba de Hiroshima” para o trabalhador brasileiro. “Eles não estão fazendo uma reforma, estão destruindo o que os trabalhadores conquistaram na última reforma. Está mais para uma bomba de Hiroshima”, afirmou Lula, reforçando que tal medida não deve ser feita de cima pra baixo. “Eu fui líder sindical muito tempo e nós nunca nos recusamos a discutir uma reforma trabalhista, mas tem que ser em igualdade de condição entre trabalhadores e empregadores”.

Lula também criticou o fato do governo jogar nas costas do trabalhador os resultados de sua incompetência por não conseguirem gerir a previdência. “De 2004 a 2014, a Previdência e a Seguridade Social eram superavitária. Isso porque criamos 22 milhões de empregos, o salário aumentou em 74% e formalizamos mais de 6 milhões. Na medida em que o governo não cresce o salário não aumenta, o desemprego aumenta, diminui a arrecadação. Você não pode jogar nas costas do trabalhador a responsabilidade de arcar com falência da previdência”.

Durante a entrevista, o ex-presidente contou que pretende dar início a uma série de viagens pelo Nordeste e disse que não se governa o País apenas de Brasília. “Vou fazer uma viagem pra conversar com povo brasileiro outra vez, para sentir o palpitar de nosso povo, a consciências de nossas mulheres”.

Lula destacou as conquistas e os avanços ocorridos no Nordeste durante seu governo, citando a Transposição do Rio São Francisco, que vai levar água para 12 milhões de pessoas, a construção de aeroportos e a melhoria na vida de quem se beneficiou dos programas sociais do governo do PT como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e Mais Médicos. “Eu tenho autoridade para cuidar do povo, eu sei cuidar do povo, entendo a alma dele. Fiz a transposição porque eu, com sete anos, já carregava pote de água na cabeça. O nordeste brasileiro não pode ser reconhecido pelo analfabetismo, pela fome, pela seca”. Sobre a transposição, ele disse que antes de seu governo faltava vontade política para reunir os três estados e chegar a um consenso. “Eu resolvi acabar com essa brincadeira colocando o Zé Alencar, o Ciro Gomes para definir projetos. Podíamos ter acabado em 2012, mas o dado concreto é que resolvemos um problema crônico que existia há mais de 300 anos, desde Dom Pedro II”.

Pesquisas

Durante a entrevista, Lula foi questionado sobre uma declaração do ex-presidente FHC sobre todas as últimas pesquisas divulgadas que trazem Lula na dianteira. O tucano teria dito que as pesquisas são apenas “projeções”, de acordo com a repórter da Rádio da Cidade, Anna Ruth. “Certamente meus adversários não criticariam as pesquisas se eles estivessem em primeiro lugar. Pior que nem em segundo estão. Você vê que nas pesquisas os tucanos desaparecem”, disse Lula.

Para ele, as pesquisas mostram que o massacre e a perseguição feitas contra ele não surtem o efeito esperado, que é não deixar ele ser candidato. “Você sabe que apanho todo santo dia, é de madrugada, é no almoço, na janta, na hora da novela, todo santo dia. O que eu acho que preocupa meu adversários, que sonham me destruir para que eu não seja candidato, e quando fazem uma pesquisa eu apareço em primeiro lugar, eles ficam pensando: o que mais vamos fazer para destruir esse Lula?”.

Do Portal Vermelho, com informações do UOL e site do Lula

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s