Elias Jabbour: Redução de meta de inflação é gangsterismo monetário

Para o professor de economia da UERJ, Elias Jabbour, a recente redução das metas de inflação para 2019 e 2020, pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é “a medida mais estratégica do golpe até aqui”. Segundo ele, a decisão aprofunda um modelo que, desde a implementação do Plano Real, “tem garantido a transferência de centenas de bilhões de reais da sociedade diretamente aos detentores da dívida pública”.

Na última quinta, o CMN anunciou uma revisão para baixo na meta de inflação, algo que não acontecia há 14 anos. O centro da meta, que era de 4,5%, passará, em 2019, a ser de 4,25% e, em 2020, de 4%. A margem de tolerância foi mantida em 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

De acordo com Jabbour, a medida vai na “contramão da racionalidade” e deverá ter como consequência uma elevação de juros, ao primeiro sinal de maior aquecimento da demanda. Mesmo em um país que já pratica a mais elevada taxa real de juros do mundo. O resultado disso é redução dos investimentos e do emprego.

Na sua avaliação, a mudança na meta é uma “demonstração de poder” e um “recado claro a quem ousar se utilizar de políticas fiscais e monetárias com finalidades mais nobres”.

Portal Vermelho: O que significa a redução da meta de inflação?
Elias Jabbour: Significa muita coisa, sendo a principal delas a consecução da medida mais estratégica implementada pelo golpe até aqui, de alcance mais cirúrgico e profundo que as reformas trabalhista e da Previdência. Aprofunda-se a consolidação de um corolário institucional amadurecido desde o Plano Real e a implementação do tripé macroeconômico em 1999, que tem garantido a transferência de centenas de bilhões de reais da sociedade diretamente aos detentores da dívida pública.

Vejamos por um outro ângulo. O atual centro da meta de inflação é de 4,5%. Se observarmos os dados da variação do IPCA, veremos que o custo para manter a inflação abaixo de 6% é altíssimo e sempre coincidindo com valorização cambial ou uma violenta recessão, como a que vivemos hoje.

Com um Banco Central voltado única e exclusivamente à estabilização da moeda, imaginemos a curva ascendente da taxa de juros no primeiro suspiro da demanda ou um pequeno choque externo.
A medida vai na contramão de qualquer racionalidade, mesmo que ortodoxa. O que está sendo posto e proposto não se enquadra em termos de ortodoxia minimamente séria. É gangsterismo monetário.

O que está por trás da decisão do Conselho?
Trata-se de um recado claro a quem ousar se utilizar de políticas fiscais e monetárias com finalidades mais nobres. É uma clara demonstração de poder daqueles que exercem o real poder político no país: o poder de emissão e precificação da moeda.

O Conselho de Política Monetária é o locus do real poder de Estado no Brasil desde a década de 1990. Toleraram o quanto puderam as “aventuras heterodoxas” de Lula e Dilma, mantiveram seus postos e acumularam força. E não pensam duas vezes para demonstrar essa força.

O governo tem comemorado a redução da inflação. Há de fato o que celebrar?
A redução da inflação é efeito das políticas pró-cíclicas executadas desde o início do segundo mandato de Dilma, quando um choque de juros, desvalorização cambial e corte de 40% dos gastos públicos levaram a nocaute o governo, o país e nossa economia.

Completa esse quadro a Operação Lava Jato e seus efeitos perversos sobre as cadeias produtivas inteiras mais densas existentes em nosso país. O rastro de instabilidade e imprevisibilidade decorrente da Lava Jato com ações de gangsterismo financeiro do Copom deverão solapar as condições de nosso país sair tão cedo desta situação.

Por Joana Rozowykwiat, do Portal Vermelho

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s