Temer faz maratona para receber 22 parlamentares em 13 horas

Para tentar garantir os votos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e barrar a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República pro corrupção passiva, Michel Temer recebe, nesta terça-feira (4), 22 parlamentares em seu gabinete. Dos 15 deputados que vão ao Palácio do Planalto, seis são integrantes da CCJ, entre titulares e suplentes.

 

Foto: EFE

 

A maratona é porque, de acordo com fontes do Planalto, o governo não conseguiu alcançar os votos necessários para rejeitar a acusação. De acordo com fontes citadas pelo jornal Folha de S. Paulo, há 21 indecisos que têm demonstrado insatisfação com o Planalto e ameaçam se posicionar contra Temer.

Entre os deputados que Temer irá receber estão Evandro Gussi (PV-SP), Lelo Coimbra (PMDB-ES), Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), Ronaldo Fonseca (PROS-DF), Darcísio Perondi (PMDB-RS) e Roberto de Lucena (PV-SP).

Confira a agenda:

8h – deputado Ronaldo Fonseca (PROS-DF)

8h30 – senador Wilder Morais (PP-GO)

9h – deputado Evandro Gussi (PV-SP)

10h – senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO)

10h30 – Ricardo Barros (PP), ministro da Saúde

11h – senador Telmário Mota (PTB-RR)

11h30 – deputada Christiane de Souza Yared (PR-PR)

12h30 – deputada Bruna Furlan (PSDB-SP)

15h – senador Roberto Rocha (PSB-MA)

15h30 – deputado Goulart (PSD-SP)

16h – senador Pedro Chaves dos Santos Filho (PSC-MS)

16h30 – senador José Maranhão (PMDB-PB)

17h – deputado Luiz Lauro Filho (PSB-SP)

17h30 – deputado Wilson Filho (PTB-PB), vice-líder, e o ex-senador Wilson Santiago, presidente do PTB na Paraíba

18h – deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), líder da maioria na Câmara

18h30 – deputado Rogerio Peninha Mendonça (PMDB-SC)

19h – deputado José Priante (PMDB-PA)

19h30 – deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE)

20h – deputado Alfredo Kaefer (PSL-PR)

20h30 – deputado Átila Lins (PSD-AM)

21h – deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) e deputado Sinval Malheiros (PODE-SP)

21h30 – deputado Roberto de Lucena (PV-SP)

O clima é de tanta tensão, que na contabilidade de Temer, os votos contrários ao governo devem ser justamente dos partidos da base que o ajudou a chegar ao poder por meio de um golpe contra o mandato de Dilma Rousseff, um deles é o como o caso do PSDB. A contagem mostra que 5 dos 7 integrantes da CCJ indicados pelo PSDB devem votar contra Temer.
Temer precisa de 34 votos para garantir que a CCJ recomende o arquivamento da denúncia. Ainda assim, parecer será analisada no plenário da Casa.

 

Do Portal Vermelho, com informações de agências

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s