Fundações preparam documento unitário em defesa do desenvolvimento nacional


Em reunião realizada em São Paulo, tendo a Fundação Maurício Grabois como anfitriã, representantes da Fundação Perseu Abramo, da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, da Fundação Maurício Grabois e da Fundação João Mangabeira debateram a redação de um documento comum em defesa de uma agenda de crescimento e desenvolvimento econômico para o Brasil.

Em reunião realizada em São Paulo, tendo a Fundação Maurício Grabois como anfitriã, representantes da Fundação Perseu Abramo, da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, da Fundação Maurício Grabois e da Fundação João Mangabeira debateram a redação de um documento que contém ideias programáticas para um novo projeto nacional de desenvolvimento.

O texto contém uma argumentação sobre o porquê de um novo projeto nacional de desenvolvimento. Discorre sobre as tarefas imediatas referentes à luta para um novo ciclo político no país e aponta diretrizes para um novo projeto nacional. “Apesar das adversidades, o Brasil tem plenas condições de superar a crise que assola o país”, entendem os presidentes das fundações.

Base de diálogo

Este encontro é um desdobramento da oficina realizada por este mesmo elenco de fundações no final de 2017, em Brasília, na sede da Fundação João Mangabeira. O texto ainda em fase de finalização se propõe a ser uma base de diálogo e convergência entre amplos setores sociais, econômicos, políticos e culturais, para além das táticas eleitorais das legendas vinculadas às referidas fundações.

Entendem os presidentes das referidas fundações, que o documento tem o objetivo de empreender amplo diálogo no sentido de incorporar ideias. Houve convergência com a minuta do texto, sendo ela, entretanto, enriquecida com algumas emendas. Trata-se de um trabalho coletivo que vai se desenvolver a partir da adesão de novos agentes políticos, portanto, “não é um ponto final, mas um ponto de partida”.

Divulgação

Após o ajuste final do texto, as Fundações pretendem realizar uma entrevista coletiva sobre o conteúdo do documento, em Brasília, na Câmara dos Deputados, após o período de Carnaval, com presença de lideranças. O Fórum Social Mundial será outro espaço de debate conjunto das fundações sobre o tema do documento. O FSM ocorrerá entre 13 e 17 de março, em Salvador (BA).

Participaram pela Fundação Perseu Abramo, Márcio Pochmann (presidente), Rosana Ramos e Joaquim Soriano; pela Leonel Brizola-Alberto Pasqualini veio seu presidente Manoel Dias; pela Fundação Maurício Grabois estiveram Renato Rabelo (presidente), Adalberto Monteiro e Leocir Costa Rosa; e pela Fundação João Mangabeira, seu presidente Renato Casagrande e Márcio Gimene.

Fonte: Grabois.org.br

Anúncios

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s