Elias Jabbour: O assassinato de uma nação


O massacre de Suzano é mais uma expressão de uma nação que não sucumbe, agoniza. É uma entidade que reflete a imagem e semelhança de seu algoz externo e – também – o maior poder corrompendor e sanguinário da história. Refiro-me aos Estados Unidos. Uma nação em vias de idiotização. Com fanatismo religioso crescente e reprodutora de monstros e assassinos de crianças indefesas. Assim são os Estados Unidos. Assim está ficando o Brasil. É a economia de mercado que se desaparece ao nível das empresas “reencarna” na mais completa desumanidade a se esperar da humanidade em sua pré-história.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Joelson Macedo disse:

    Republicou isso em Blog de Joelson Macedo.

    Curtir

  2. Ivone torres disse:

    Elias Jabbour contribuiu em gênero, número e grau para esta política que ele hoje critica. Ao invés de se juntar aos progressistas , democratas , enfim à esquerda, preferiu fazer o papel de reacionário. Na Rede Globo destacou-se em de atacar as esquerdas, ao invés de colaborar com a transformação social. Ele teve um papel preponderante, como formador de opinião, em injuriar e denegrir a imagem dos progressistas e da esquerda desse país. Ele é um intelectual burguês, vendido.

    Curtir

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s