‘Bolsonaro agride e despreza as pessoas ao falar sobre fome no país’


Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta sexta-feira (19), em café da manhã com jornalistas estrangeiros, que “falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira“. “Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não”, disse. A declaração do presidente causou indignação em parlamentares no Congresso Nacional.

 

 

 

“Ao dizer ninguém passa fome no Brasil, Bolsonaro agride o bom-senso e menospreza a dor dos que sofrem”, reagiu o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Em mensagem postada no Twitter, o parlamentar disse que o Brasil que o presidente conhece se limita à Barra da Tijuca, bairro que abriga condomínios e centros comerciais de luxo na cidade do Rio de Janeiro onde mora a família Bolsonaro. Para Orlando Silva, o governante “ignora o país real, os dramas que afligem o povo”. “É um pavão de redes sociais, um charlatão”, ressaltou.

Segundo o deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE), dizer que não há fome no Brasil é uma “crueldade” em um País “com cerca de 55 milhões de pobres e mais de 15 milhões vivendo abaixo da linha da extrema pobreza”. “Me pergunto até que ponto é falta de informação ou crueldade fazer afirmações como essas”, completou.

Para o vice-líder do PCdoB, deputado Márcio Jerry (MA), no Brasil real, “que o Jair Bolsonaro não enxerga, infelizmente tem fome sim”. “E fome que aumenta com o desmonte de políticas públicas de proteção e assistência social”, pontuou.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) diz que Bolsonaro ridiculariza mais de cinco milhões de brasileiros que passam fome.

“Para Bolsonaro, é tudo uma grande mentira. Só quem vive há mais de 30 anos na mamata, e criou os filhos nas mesmas tetas, pode ser tão indigno com a dor do povo e a realidade do país que governa”, criticou o senador.

“Até onde veremos tanta imbecilidade? Será que esse cidadão não se cansa de dizer besteiras e mostrar que não conhece nosso país?”, indignou-se o deputado André Figueiredo (CE), líder do PDT na Câmara.

A fala do presidente foi uma resposta a uma representante do jornal espanhol El País, em Brasília. A jornalista queria saber que trabalho o governo tem realizado para reduzir a pobreza no país. Em sua resposta, Bolsonaro criticou as bolsas usadas como mecanismo para distribuição de renda.

“Passa-se mal (no Brasil), não se come bem, aí eu concordo, agora passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas com o físico esquelético como se vê em outros países pelo mundo. Mas adotou-se no Brasil, a partir do governo Fernando Henrique (Cardoso) pra cá, do PSDB, e depois do PT, que distribuição de riqueza no Brasil é entregar bolsas. É o país das bolsas. E o que faz tirar o homem da miséria, ou a mulher, é o conhecimento. A educação aqui nos últimos 30 anos nunca esteve tão ruim”, declarou.

Fonte: PCdoB na Câmara

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s