Dilermando Toni: Lênin, 150 anos, um breve registro


Primeira parte
Comemoramos neste 22 de abril o aniversário de Wladimir Ilitch Ulyanov, o nosso grande Lênin. Há exatamente 150 anos ocorreu o nascimento dessa figura que marcou com suas ideias e prática a história do movimento proletário russo do século XX, levando-o à primeira grande conquista revolucionária duradoura de Poder político.
Mas seu pensamento teve também um alcance mundial e histórico. Pelo nível de abstrações alcançado, pelo conjunto de generalizações e sínteses que contém, pela variedade de temas de que tratou em uma época histórica nova para a sociedade humana, e ainda pelo alcance histórico atingido, este pensamento se elevou ao nível de uma teoria. A teoria leninista da revolução socialista.
Minha pretensão aqui não vai nada além de fazer um registro e prestar uma singela homenagem a esse inigualável revolucionário, destacando tão somente um dos aspectos de sua teoria qual seja a teoria leninista do imperialismo e mostrando sua atualidade.
Quando Lênin se encontrava na casa dos 30 anos, o mundo capitalista vivia grandes transformações. Há pouco mais de cem anos, na virada do século XIX para o século XX, os monopólios passavam a jogar o papel fundamental em substituição à livre concorrência. A reação em toda a linha e a guerra imperialista tomava o lugar da democracia burguesa. Na cena histórica a época da burguesia dava lugar à época do imperialismo e das revoluções proletárias.
As burguesias das principais potências capitalistas empenhavam-se febrilmente na preparação da I Guerra Mundial como forma de dividir os mercados mundiais. A guerra veio a desencadear-se a partir de 1914 e, um após outro, os partidos operários da II Internacional, habituados ao período de desenvolvimento relativamente pacífico do capitalismo e ao parlamento burguês, enveredavam pelo caminho da conciliação e da traição, alinhando-se às suas respectivas burguesias.

Colocou-se do ponto de vista prático a necessidade de analisar profundamente o novo quadro a fim de desmascarar o oportunismo e formular uma orientação que armasse para a luta revolucionária a vanguarda do movimento operário nas condições da nova época histórica. Foi nessa circunstância que Lênin concebeu O imperialismo, fase superior do capitalismo. Ele pretendia que sua obra pudesse ajudar “a compreensão de um problema econômico fundamental, sem cujo estudo é impossível compreender seja o que for e formar um juízo sobre a guerra e a política atuais.”

Ao escrever O Imperialismo … no primeiro semestre de 1916 Lênin partiu das leis gerais do desenvolvimento do capitalismo formuladas por Marx e Engels e fez um amplo trabalho de pesquisa sobre os novos fenômenos do capitalismo. Utilizou-se de “dados gerais, irrefutáveis, da estatística burguesa e declarações dos homens de ciência burgueses de todos os países”, procurando sempre os dados de conjunto sobre os fundamentos da vida econômica de todas as potências que estavam em guerra e de todo o mundo já que, alertava Lênin: “dada a infinita complexidade dos fenômenos da vida social, podem-se encontrar sempre os exemplos ou dados isolados que se queira suscetíveis de confirmar qualquer tese”.

Mesmo com opiniões políticas divergentes com seus autores Lênin destacou em especial o valor de duas obras que o auxiliaram na elaboração de O imperialismo, fase superior do capitalismo, a saber: O capital financeiro do austríaco R. Hilferding (1912): “uma análise teórica extremamente valiosa da ‘fase mais recente do desenvolvimento do capitalismo'”; e O imperialismo do economista inglês J. A. Hobson (1902): “uma descrição excelente e pormenorizada das particularidades econômicas e políticas fundamentais do imperialismo”.

Nos Cadernos sobre o imperialismo, tomos XLIII e XLIV das Obras Completas (Akal Editor) estão concentrados os estudos que Lênin fez para escrever O imperialismo … Há extratos e observações de 148 livros, de 232 artigos e de 49 publicações periódicas em várias línguas, feitas entre 1912 e 1916.

O livrinho de Lênin, como ele o chamava, está dividido em 10 capítulos dos quais o VII e o X são capítulos de síntese da própria obra e os outros são capítulos de análise e desenvolvimento das idéias. O imperialismo, … ao lado de outras obras de Lênin sobre o assunto constituem um formidável acervo teórico indispensável para se compreender o que se passa no mundo de hoje. Entre essas outras obras podem ser citadas: o prefácio ao livro de Bukárin A economia mundial e o imperialismo (1915), Sobre a caricatura do marxismo e o ‘economismo imperialista’, (segundo semestre de 1916), O imperialismo e a divisão do socialismo (1916).
(este artigo continua em próxima edição)

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.