Ricardo Alemão: O Foro de São Paulo, uma experiência internacionalista


Publico aqui no Blog esse excelente trabalho do nosso camarada Ricardo Abreu Alemão, sobre o Foro de São Paulo.

A dissertação estuda uma experiência internacionalista de partidos políticos de esquerda da América Latina e Caribe: o Foro de São Paulo. O período considerado para a pesquisa é de 1990 a 2015. O Foro de São Paulo é uma organização formada por partidos e movimentos políticos de esquerda latino-americanos e caribenhos, identificados com um posicionamento antineoliberal e anti-imperialista e em favor da integração econômica, social, política e cultural da América Latina e Caribe. É uma grande família da qual fazem parte diversas correntes político-ideológicas, ou famílias, da esquerda latino-americana. A pesquisa analisa o desenvolvimento histórico do Foro de São Paulo, seus principais debates e resoluções, as suas polêmicas e crises e como, apesar disso, a organização internacionalista potenciou suas convergências e consensos, elaborando e difundindo propostas latino-americanistas de integração continental. Discute-se ainda o processo pelo qual partidos do Foro de São Paulo passaram a liderar governos de esquerda e progressistas na região, que impulsionaram a integração latino-americana e caribenha. A pergunta fundamental da pesquisa é: por que e como, o Foro de São Paulo, mesmo com a sua diversidade político-ideológica, com os seus limites, crises e contradições, sobreviveu e é uma das principais organizações internacionalistas de partidos políticos de esquerda do mundo e a mais importante da América Latina e Caribe? As características distintivas do Foro de São Paulo, ao mesmo tempo em que o singularizam, também são as razões de sua resiliência e o sustentam como experiência internacionalista de partidos políticos. A pesquisa adotou o referencial teórico do materialismo histórico e o método dialético, particularmente o pensamento do marxista Antonio Gramsci, em especial, seus elementos para uma teoria do partido político e conceitos como Príncipe moderno e hegemonia. Através de uma metodologia histórica e comparativa, a pesquisa fez uma revisão crítica da literatura sobre o internacionalismo e as relações internacionais dos partidos de esquerda da América Latina, particularmente de Brasil e Cuba, e sobre o Foro de São Paulo. O esforço de pesquisa realizado envolveu ainda o estudo de fontes primárias e a pesquisa de campo.

Clique aqui e acesse a tese na íntegra

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.