Wang Yi: EUA não deterão o progresso da China


A China alertou os Estados Unidos, nesta quarta-feira (5), que manterá seus planos de desenvolvimento inalterados para o benefício do povo e do mundo, depois de prever fracassos absolutos em qualquer tentativa de Washington de restringir esse objetivo.

O ministro das Relações Exteriores Wang Yi lamentou em uma entrevista à agência Xinhua que o atual governo dos EUA ignore quatro décadas de vínculos com bons resultados para ambos os lados, apenas por causa das reivindicações eleitorais de alguns políticos.

Durante esse período, ele lembrou, os dois poderes deixaram de lado suas diferenças ideológicas, coexistiram pacificamente e muitas gerações trabalharam para fortalecer os laços, articulados estreitamente e em múltiplos campos de cooperação.

Ele considerou desnecessário e impossível que cada um se transformasse no outro, ao contrário, pediu que se respeitasse o caminho de desenvolvimento escolhido, respectivamente, e evitasse a todo custo cair na Guerra Fria.

A China – observou Wang – rejeita qualquer tentativa de criar um confronto, porque contraria os interesses e aspirações de progresso, tanto bilateral como globalmente.

Ele denunciou que alguns setores da política dos EUA querem reviver o macartismo, a fim de minar os laços Pequim-Washington, semear hostilidade, prejudicar a confiança e alimentar um conflito com consequências globais, pois desencadearia o caos e a divisão.

O dirigente chinês negou as intenções da China de se tornar um novo Estados Unidos, exportando ideologia e se intrometendo nos assuntos internos de outros países. “Nosso compromisso é com o desenvolvimento pacífico, por meio da abertura de projetos mutuamente benéficos”.

“Pequim reagirá adequadamente se a hostilidade da Casa Branca persistir”
Por outro lado, o chanceler assegurou que seu país não está interessado em discordâncias diplomáticas e, com o fechamento do consulado americano em Chengdu, ele respondeu de forma legítima e legal à decisão semelhante da Casa Branca contra o escritório chinês em Houston.

Wang insistiu na necessidade de estabelecer um mecanismo de diálogo para dar outro rumo às relações entre China-EUA, deixando para trás o estágio mais desafiador desde o seu estabelecimento em 1979.

Em relação a Hong Kong, ele reiterou a tolerância zero à interferência estrangeira em qualquer um de seus assuntos, incluindo a lei de segurança recentemente aprovada.

Wang mencionou o apoio da população à referida norma e que o objetivo fundamental é garantir a implementação a longo prazo da política de um país, dois sistemas.

Entre várias questões, ele ratificou o apego da China ao multilateralismo, seu apoio ao papel das Nações Unidas e sua rejeição ao assédio e ao unilateralismo, porque colocam em risco a ordem internacional.

Embora ele tenha reivindicado o compromisso de estabelecer um diálogo construtivo entre os dois poderes em termos iguais para lidar com qualquer diferença, ele disse que Pequim reagirá adequadamente se a hostilidade da Casa Branca persistir.

Fonte: Prensa Latina

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.