CNO reafirma importância das direções e da militância nas eleições


A Comissão Nacional de Organização do PCdoB se reuniu na manhã desta quarta-feira (9) para avaliar o atual estágio do processo eleitoral pelo país — a partir dos relatos dos dirigentes — e o contexto em que ele se desenvolve, além de debater ações para assegurar o funcionamento do partido e a mobilização da militância visando o pleito deste ano, mas também os desafios de 2022.

“É indispensável, para ter bom resultado em 2020, que tenhamos um bom funcionamento do partido e da mobilização como um corpo vivo”, ressaltou o secretário de Organização, Fábio Tokarski. Ao tratar do contexto atual, o dirigente explicou que “o Brasil é governado pela extrema direita, um fenômeno que se coloca muito além do governo. Há um ambiente que contamina não apenas as instituições, mas também o engajamento de uma faixa da população: o núcleo bolsonarista gira em torno de 10% a 12% e há cerca de 30% dos aderentes e simpáticos ao governo”.

Fábio falou também sobre o aumento de apoio da população ao presidente, que contraditoriamente se deu no ambiente dramático da pandemia. Ele apontou, como elementos para explicar tal desempenho, a mudança de tática de Bolsonaro após a prisão de Fabrício Queiroz, quando o presidente passou a adotar uma postura mais contida; a busca por aliança com o centrão e a influência direta do auxílio emergencial sobre a vida de mais de 60 milhões de beneficiados e seus familiares. “Em 25 unidades da federação, tem mais gente recebendo o auxílio do que com carteira assinada — exceção do Distrito Federal e Santa Catarina”, apontou.

Considerando este cenário, Fábio salientou: “não podemos confundir os simpáticos com os  bolsonaristas. É preciso compreender esse fenômeno: há o núcleo, os aderentes e os simpáticos”, ou seja, é possível ampliar o diálogo com boa parte deste público a partir da argumentação política, mostrando a real situação do país.

Outra questão que influencia o quadro eleitoral de 2020 é o fato de que este é o primeiro pleito com chapa própria e com financiamento público. “E sabemos que o fundo eleitoral é insuficiente para as necessidades e expectativas atuais”, ou seja, a estruturação partidária e o envolvimento de amigos, simpatizantes, filiados e militantes se tornam ainda mais estratégicos para a superação destes obstáculos.

Fábio abordou, ainda, o ambiente interno do partido no processo eleitoral: “as direções municipais devem cuidar das chapas e descentralizar o acompanhamento, saber distribuir os quadros no conjunto das campanhas e promover novos quadros”. Além disso, o dirigente destacou “o papel da direção de politizar a disputa, oferecendo subsídios e argumentação necessários para o debate”. Fábio também enfatizou a importância de as direções darem sustentação e apoio às candidaturas jovens e de mulheres no sentido de impulsioná-las e torná-las realimente competitivas. E apontou: “nós, dirigentes, temos de conduzir a campanha atual levantando o olhar para 2022, reforçando a unidade partidária e filiando mais gente. O processo eleitoral é um momento nobre para isso”.

O secretário destacou também a importância de dar à Comissão um caráter mais permanente, não só com a presença nas reuniões, mas no que diz respeito a entender e responder os desafios levantados pelo partido como um todo. E por isso a importância da presença do partido. “Temos que olhar para os desafios do Brasil profundo”, disse. E completou: “O PCdoB está mobilizado, mas é preciso espraiar esse movimento para todo o partido”.

Estruturação partidária

No que diz respeito às questões relativas à  contribuição, formação, comunicação e funcionamento, no âmbito da campanha de estruturação partidária, Fábio destacou que “o desafio é levar a nossa militância a atuar mais”.

Ele destacou que os integrantes da CNO devem, todos, ter a tarefa de cuidar e impulsionar o partido, bem como articulá-lo em diversas frentes. Neste sentido, O site http://www.pcdob.org.br é um importante instrumento de posicionamento dos comunistas.

O dirigente lembrou que o partido tem cerca de 470 mil filiados com 60 a 70 mil militantes recadastrados. “Temos que crescer no número de filiados e de militantes. Temos um instrumento para fazer o gerenciamento das filiações e atualização cadastral para auxiliar a mobilização: o PCdoB Digital. A atualização de dados é fundamental para a comunicação, formação, finanças, movimentos sociais, todas as áreas do Partido. O número atualizado de cadastrados é, inclusive, um dos indicadores da Campanha de Estruturação Partidária, lançada em maio de 2020”, disse.

Ainda sobre as eleições, Fábio Tokarski destacou:  “o debate politizado, de qualidade, é imperioso. O voto tem que ser pedido, seduzido, conquistado, cativado e é preciso manter esse voto. Para isso, é necessária uma rede de apoiadores se articulando pelas bases”.

Ele destacou ainda a necessidade urgente de se lançar chapas completas.”Ainda há tempo de lançar e projetar chapas com mulheres e jovens. É preciso cuidado e zelo para acompanhar os candidatos e candidatas em 2020 para que permaneça no partido e formem as chapas de 2022. Os desafios são muitos, e neste sentido que temos que superá-los juntos”.

Por Priscila Lobregatte

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.