Flávio Dino: Bolsonaro é combinação de insensibilidade e incompetência


O fim do auxílio emergencial atingirá cerca de 48 milhões de brasileiros.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou, em suas redes sociais nesta quarta-feira (30), a falta de responsabilidade e de gestão do governo Bolsonaro frente à Covid-19 e a crise econômica que atinge especialmente a população mais carente.

“Desastres bolsonaristas: acabou o auxílio emergencial e não começou a vacinação. Rara combinação de insensibilidade com incompetência”, declarou.

O fim do auxílio emergencial atingirá cerca de 48 milhões de brasileiros. Com o auxílio, o percentual de pessoas em situação de extrema pobreza atinge pouco mais de 2% da população; sem ele, índice vai a 12,4%. Conforme dados do IBGE, na PNAD Covid-19, o benefício chegou a cerca de 40% das residências do país.

Na Câmara, o PCdoB lutou, ao lado dos demais partidos da oposição, para que o benefício fosse prorrogado, uma vez que a pandemia se agravou e seus os efeitos seguirão em 2021. Da mesma maneira, o partido tem lutado para que o governo agilize a vacinação em nível nacional, garantindo imunização para todos e todas. Assim como tem feito ao longo de toda a pandemia, o governo trata a Covid-19 de maneira displicente e irresponsável, situação que levou ao agravamento da disseminação da doença, ao aumento alarmante no número de óbitos, sem perspectivas de melhora em curto prazo e à total indefinição quanto ao início da vacinação.

O que você achou desta matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.