Sonda chinesa conclui coleta de amostras na Lua


A sonda chinesa Chang’e-5 concluiu a coleta de amostras na Lua, e estas foram seladas no interior da nave espacial, anunciou a Administração Espacial Nacional da China (CNSA, na sigla em inglês) na manhã desta quinta-feira (3).

Lançada em 24 de novembro, a espaçonave pousou no norte do Mons Rumker no Oceanus Procellarum, também conhecido como Oceano das Tempestades, no lado próximo da Lua, em 1º de dezembro, com a missão de coletar as primeiras amostras da China de um corpo extraterrestre.

Após a nave ter trabalhado durante cerca de 19 horas na Lua, a extração de amostras foi concluída às 22h00 de quarta-feira (horário de Pequim), e as amostras foram armazenadas num recipiente dentro do ascensor da sonda, como planejado, relatou a CNSA.

Utilizando os dados enviados pela sonda, os cientistas simularam o procedimento de amostragem num laboratório, fornecendo uma importante base para a operação na Lua.

O radar penetrante de regolito (camada solta de material heterogêneo e superficial que cobre uma rocha sólida) lunar e outros dispositivos no pousador (equipamento que auxilia na aterrisagem) realizaram a exploração científica conforme o previsto e forneceram apoio informativo para a amostragem.

A sonda resistiu a temperaturas superiores a 100 graus Celsius na superfície lunar.

Foram adotados dois métodos de captação de amostras na Lua, incluindo o uso de brocas para coletar materiais da subsuperfície e pegar amostras da superfície através de um braço robótico. Diversas amostras em diferentes locais foram coletadas.

As amostras foram seladas no interior da nave espacial para garantir que fossem mantidas a vácuo e livres da influência do ambiente externo durante seu retorno à Terra.

A Chang’e-5 está equipada com diversos aparelhos incluindo uma câmera de aterrissagem, câmera panorâmica, radar penetrante de regolito e espectrômetro mineralógico lunar, que detecta a topografia da superfície lunar e a composição mineral, bem como a estrutura da subsuperfície pouco profunda da Lua.

Antes do processo de extração das amostras, o radar penetrante de regolito lunar analisou a estrutura da subsuperfície na área de sondagem, oferecendo dados de referência para a amostragem.

Fonte: Agência Xinhua

1 comentário

Deixe uma resposta para pflkwy Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.